x

terça-feira, 4 de outubro de 2016

4 dicas de segurança para viajantes em novos países

By

yyy
Ao decidir destinos em países do exterior, é necessário que os viajantes sempre atentem-se à segurança em todos os aspectos da viagem, apreciando um passeio tranquilo e evitando quaisquer tipos de acidentes e imprevistos.

Confira abaixo algumas dicas de segurança para viajantes em novos países e aprenda alguns macetes e pontos importantes que devem ser seguidos para a viagem perfeita.

1. Tranque as malas

Os turistas que viajarão para novos países devem atentar-se às bagagens, sempre inserindo cadeados em todos os zíperes que podem ser abertos tanto por acidente na transferência das malas ao avião, quanto propositalmente, o que pode acontecer caso algum outro passageiro pegue as bagagens sem intenção no despacho.

Principalmente em viagens que possuem escala, esta é uma das dicas de segurança mais preciosas para não perder qualquer pertence.

2. Adquira seguro de viagem

O seguro de viagem previne qualquer tipo de acidente desde o embarque até o desembarque, evitando acidentes e remunerando em caso de perdas e danos.

O serviço pode ser adquirido por empresas que fornecem viagens, tanto passagens, quanto pacotes, informando-se sobre o mesmo no ato da contratação.
Foto reprodução: dicasviagensbaratas.com.br
3. Evite áreas de risco

Principalmente para os viajantes que estão sozinhos pelo destino, sempre informe-se sobre as áreas mais perigosas da região e evite passar pelas mesmas, tanto a pé, quanto em transportes que não sejam confiáveis.

Andar somente com o dinheiro necessário para o passeio e sem pertences valiosos pela rua também é indicado para quem é novo em outro país.

4. Taxistas

Sempre atente-se aos taxistas caso locomova-se por este meio de transporte pela cidade, verificando se o mesmo realmente possui o veículo caracterizado e licenciatura para prestação de serviços, além de tentar comunicar-se com o mesmo no idioma local, desviando de qualquer tipo de risco ao lidar com motoristas estranhos que podem não ser “oficiais” trabalhadores na área.

Gostou deste artigo? Deixe seu comentário!

0 comentários:

Postar um comentário

Dúvidas